Carta de dez anos atrás.

Querida Carolina,

Você deve ter nove anos hoje, e está muito animada para o seu décimo aniversário pelo que eu sei. Sonhei com você hoje, pequena e roliça – não muito diferente do que você vai ser.

Minha querida, você não vai me ouvir – se até hoje eu não ouço (quase) ninguém, imagine essa característica há dez anos. Mas quero deixar palavras impressas para que você trace seu caminho da melhor forma possível.

Primeiramente, queria dizer para não se incomodar tanto com o seu aparelho auditivo. Vai chegar um ponto que você nem vai perceber que está ou não com ele, e isso será só um detalhe a mais no amontoado de coisa que vai ser. Acredite no que a dona Maria Tereza fale: o combo aparelho auditivo e arco de colocar no cabelo realmente ficam um charme – com 19 anos você vai ser adepta aos arquinhos de forma sacerdotal. A verdade é que a perda de audição irá te atrapalhar em alguns momentos. As pessoas são más e não aceitam variação, mas isso não vai te impedir de arranjar amigos – acredite, há muito doido nesse Mundo, com os gostos semelhantes aos seus.

Harry Potter vai ser seu refúgio por vários anos, mas acredite, você vai conhecer outros autores, outras paixões, outras escritas… J.K é deusa, concordo, mas não se prenda somente a ela. E você vai se assemelhar com a Hermione e seus cabelos emaranhados, mas não fique triste, ela é a melhor bruxa do seu tempo, lembra?

Continue estudando, mesmo que não consiga tirar notas. E você vai encontrar algo pior que matemática na sua vida: antropologia. Você vai amá-la do fundo do coração, chorar ao ler os textos dessa vertente, contudo eles vão te esmagar em pedacinhos quando as notas saírem. E você vai descobrir que, como um amigo que encontrará, há um fetichismo na nota. O vestibular é a merd* que você vai pensar quando estiver no Ensino Médio, sem tirar nem pôr – mas não desista, você vai estar em um lugar (universidade) que não era para você estar.

Você não é feia. Não ouça essas meninas. Seu cabelo é de bruxa sim – lembra o que eu disse sobre a Hermione? – e você devia ter muito orgulho dele. Você não é gorda, você é só uma criança. Não tenha medo de continuar sendo infantil. Você só tem nove anos. E acredite, sabe quando os olheiros chamam suas colegas (as que tiram sarro de você) para serem modelos? (você vai achar isso um absurdo depois, fique tranquila. E achar uma falta de respeito no contrato entre pagantes e escola particular, enfim.) Eles não sabem que você quando ficar maior – não muito – vai chamar atenção de uma dúzia de fotógrafos.

E fique tranquila, esse menino que você acha que gosta vai te procurar daqui uns anos – mas você vai negá-lo. E, acredite, você vai sentir uma vergonha imensurável por imaginar casando-se com esse rapaz.

Não é porque você não faz inglês que isso te deixa menos inteligente ou hábil. Você vai ser mais crítica que a maioria – e isso será latente na sua escolha de profissão.

Não precise ter tanto ciúmes, as pessoas não vão simplesmente abandonar você – e se fizerem isso, o que você pode fazer para segurá-las? Não há remédios, algumas pessoas vão para dar espaço para outras. Eu tenho muito orgulho do que você é, e do que eu sou agora.

Maria Tereza e Levi são os melhores, sem dúvidas – não há nem o que contestar. Eles te amam como você é e independente do que faça. Sua religião, sexualidade, gênero etc não vão interferir nesse amor.  O que você precisar dar a eles não é dinheiro nem satisfação, você precisar enchê-los de amor – pelo simples fato de amá-los.  Você vai nutrir um orgulho imenso pela sua família, aos poucos, sem perceber, eles estarão na lista de prioridades acima de você. E isso não é uma vergonha nenhuma, são seus amigos – e já foram mais hippies que muitos cantores e bandas que você gosta, acredite.

Não se cobre tanto. Amigos vão aparecer. E alguns serão especiais – mesmo que alguns digam que você tem colegas. Você vai ter muitas decepções e chorará muitas vezes, mas essas coisas acontecem. Não é pra se abalar! Você vai conhecer gente que empresta os livros, que vai te ouvir como ninguém, que vai ser seu parceiro monogâmico quando tiver alguém chato te azarando, vai te dar bolo e casa.  Eles podem ser pouquíssimos, mas serão especiais e te encherá o peito como nunca. E vão te aceitar mesmo te achando meio besta às vezes.

Curta muito o vô Lourenço – e quando o caçoarem por ser negro, bata como bateu aquela vez naquela menina. Não se resolve violência com violência, mas nesse caso, há uma exceção.

Continue assim, você é meu orgulho.

Com muito amor e atenção,

Da sua futura “eu”,

Carolina.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s